Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


CARTA AO PRESIDENTE DA REPUBLICA E RESPOSTA DESTE.

por antipulhítico, em 25.01.14

  2014-01-02 
>> Exmº Senhor Presidente da República 
>> Palácio de S. Bento 
>> LISBOA 
>>
>> Excelência: 
>> Se durar até Março chego aos setenta e seis anos, reformei-me aos sessenta e cinco depois de ter trabalhado durante quarenta e oito muito embora para a reforma só tenha descontado “apenas” durante quarenta e um, sou portanto um daqueles inúteis que nada produz, segundo o conceito de alguns e um parasita que suga o estado segundo o conceito do (des)governo que Vossa Excelência garbosamente apadrinha. 
>> Feita a minha apresentação passemos à razão desta carta, torná-la-ei pública logo após a enviar a Vossa Excelência, que é fruto da comunicação que, ontem (abro um parêntese para dizer a Vossa Excelência que só o facto de estar em casa de amigos interessados em ouvir a comunicação me levou a estar agora a falar dela porque não era minha intenção perder tempo com quem nada diz que valha a pena ser escutado) Vossa Excelência fez a um país que com toda a certeza não é aquele onde vivo, nem onde vivem os portugueses que cerca das onze horas da véspera de Natal, na Av. Almirante Reis frente à Igreja dos Anjos, faziam bicha para conseguirem o almoço na “Sopa dos Pobres”, nem das crianças que só comem uma refeição por dia fornecida pela escola (algumas nem sei o que lhes aconteceria se as cantinas escolares não funcionassem nas férias) nem dos velhos cuja reforma não chega para a alimentação e muito menos para os genéricos que deviam tomar, sendo que alguns ainda teem que dividir, não a reforma mas a fome, com filhos e netos, nem dos estudantes que por falta de meios teem que abandonar os estudos, nem dos desempregados que deambulam desesperados em busca dum posto de trabalho que lhes permita o sustento, nem dos que teem de emigrar para sobreviver, nem dos que se suicidam, por fome e vergo-nha, para não suportarem a caridadezinha tão ao gosto das mentes formatadas na escola do antigo regime. 
>> Isto de ser velho tem, para o governo, a desvantagem dos custos mas para os próprios, os que ainda guardam um pouco de lucidez, a vantagem da memória…Presidentes da Repúbli-ca, vi o retrato do primeiro aos sete anos quando entrei para a escola primária, que fui cole-cionando: Carmona, Craveiro Lopes, Américo Thomaz, António de Spínola, Costa Gomes, Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Vossa Excelência, porque, ao que parece, ainda vivemos em liberdade, permito-me emitir a apreciação que faço dos ditos presidentes, considero que apenas três, Craveiro Lopes, Ramalho Eanes e Jorge Sampaio mereceram e justificaram a honra de tal cargo e até ao advento do consulado de Vossa Excelência consi-derava que não se poderia descer mais do que o nível a que Américo Thomaz havia condu-zido a magistratura da Presidência. Lembro as declarações caricatas de Américo Thomaz, mas lembro melhor, por mais recentes, as do actual Presidente da República, que desco-nhecia o número de cantos dos Lusíadas, que no estrangeiro e a falar sobre literatura omite o nome do Nobel Português da literatura, lembrado pelo Presidente da República do país anfitrião (não sou comunista e prefiro Aquilino, Torga, Ferreira de Castro ou Eça a José Saramago) ou que, nos Açores, vê vacas a rir. 
>> Isto de ser velho também tem este problema de nos desviarmos, muitas vezes, do caminho, voltemos pois à comunicação, não para a comentar mas para a partir dela dirigir algumas perguntas a Vossa Excelência. 
>>
>> 1ª- Regresso aos mercados, quais mercados? Os do BPN que custa mais de sete mil milhões de euros aos portugueses que estão a ser espoliados e cujos autores dessa gigantesca burla se pavoneiam exibindo a riqueza brilhantemente adquirida? 
>> 2ª - A felicidade de estarmos na União Europeia, Vossa Excelência lembra-se quem foi o líder dum partido político, mais tarde primeiro-ministro, que quis opor-se à nossa entrada na então CEE? 
>> 3ª - Convenção internacional sobre os quarenta anos de liberdade em Portugal, Vossa Exce-lência lembra-se quem foi o primeiro-ministro que recusou a Salgueiro Maia, imortal herói desse glorioso dia 25 de Abril de 1974, na altura já a lutar contra a doença que o havia de retirar do nosso convívio, uma pensão na mesma altura em que a concedeu, por bons serviços prestados à Pátria, a dois serventuários da pide? 
>> 4ª - Compromisso de salvação nacional entre vários partidos, será que Vossa Excelência imagina que é possível fundir PSD; CDS e PS e criar uma nova união nacional? 
>> 5ª - “A todos, governo ou oposição, impõe-se estar à altura do momento crucial que vivemos” será que para Vossa Excelência estar à altura do crucial momento que vivemos é apoiar as medidas inconstitucionais que o governo adopta? 
>> 6ª - Promulgar um orçamento de estado que, devido à decisão do Tribunal Constitucional sobre o corte nas pensões e reformas, já precisa de rectificação ainda antes de entrar em vigor é para Vossa Excelência um acto normal dum Presidente da República? 
>> 7ª - O orçamento de estado vai, inevitavelmente, desaguar no Tribunal Constitucional, a serem declaradas inconstitucionais algumas das normas do orçamento Vossa Excelência acha que o governo que, nesse caso, apresentaria em todas as legislaturas orçamentos inconstitucionais, tem condições para continuar a governar? 
>> 8ª - A serem declaradas inconstitucionais algumas normas do orçamento de estado, Vossa Excelência, Presidente da República de Portugal, que jurou defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa, acha que tem condições para cumprir a totalidade do mandato? 
>> 9ª - Última pergunta, Vossa Excelência, que se diz católico, ouve com atenção o que o Papa Francisco diz sobre os mercados que para Vossa Excelência parecem ser a Bíblia? 
>>
>> Até ao dia de Reis estamos nas festas natalícias e por tal desejo a Vossa Excelência e toda a família um novo ano repleto de tudo aquilo que faltará nos lares dos portugueses sem empre-go, com reformas de miséria ou a ganhar o sustento longe da família. 
>>
>> José Nogueira Pardal 

 

Sitio da Presidencia da República Portuguesa - Escreva
ao Presidente
De: belem@presidencia.pt
Enviada: sexta-feira, 3 de Janeiro de 2014 12:12:24
Para: nogueira.pardal@live.com.pt
Conjunto de carateres: SeleçãoAutomática
Acusamos a recepção da sua mensagem a qual agradecemos.
https://dubI25.mail.live.comlmaillPrintMessages.aspx?cpids=ab133c30-7478:!11e3-a... 03-01-2014

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D